admin | 15ª Conferência

Conferencia Saúde 15 Informações Saudáveis para uma Vida Susntentável

admin | 15ª Conferência

sucesso falhar Sobre essa captura COLETADAS PELA Organização: Internet Archive Internet Archive descobre e captura de páginas da web através de vários rastreamentos da web. Em qualquer momento dado distintos rastreamentos estão em execução, alguns meses, e alguns todos os dias ou mais. Visualizar o arquivo da web através do Caminho de volta da Máquina. Coleção: Grande Número de Rastreamento 15: Começou Oct 1st, 2016 – Terminou o dia 8 de Maio, 2017 wide Web de rastreamento. CARIMBOS de data / hora de início de sessão Senha Não possuo cadastro! Todos os posts de administrar Fórum vai monitorar mortes de trabalhadores em serviço 25 de fevereiro de 2016 Destaques, Notícias administrar Centrais sindicais criaram nesta quarta-feira (25) o Fórum Permanente Sindical de Saúde do Trabalhador para monitorar as mortes de trabalhadores durante a jornada de trabalho. A criação do novo colegiado, que já terá sua primeira reunião no dia 9 de março, ocorreu durante reunião na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Saúde (CNTS), em Brasília. O presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Ronald Santos, explica que a defesa dos interesses dos trabalhadores é uma pauta central do colegiado. Segundo ele, todo o trabalho será feito para que as conquistas da 4ª Conferência de Saúde do Trabalhador, realizada em 2014, não sofram retrocesso. “É necessário empenho para a integração de todo o segmento de trabalhadores. Um dos desafios é incluir no debate permanente o trabalhador de nível técnico”. O diretor do Departamento de Vigilância de Saúde Ambiental do Ministério da Saúde, Gilberto Pucca, afirma ser preciso uma discussão permanente sobre a saúde pública do trabalhador. Para ele, o diálogo com as centrais sindicais e o Ministério da Saúde deve aproximar as ações e pensar estratégias de impacto para a saúde do trabalhador. “Precisamos construir pontes, mas devemos ser claros sobre as demandas”, diz. Agenda Os trabalhadores decidiram, também, realizar um ato no dia 07 de abril, Dia Mundial da Saúde. Na data, haverá um ato simbólico de abraço nas secretarias municipais de saúde em diversas cidades do país. A ideia é cobrar por mais serviços de qualidade e principalmente mais recursos para saúde. Já para o dia 28 do mesmo mês, Dia Mundial de Memória das Vítimas de Acidente no Trabalho, está prevista a primeira reunião da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador do CNS em Mariana, Minas Gerais. Na pauta, o rompimento da barragem da empresa Samarco, controlada pela Vale e pela anglo-australiana BHP Billiton. Participaram, ainda, da reunião o coordenador de Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde, Jorge Huet, e representantes da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da CNTS, da Força Sindical, da União Geral dos Trabalhadores, e da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil. Mariana Moura Assessoria do CNS Deixe um comentário Presidente do CNS apoia nota contra corte de R$ 10 bi do SUS 25 de fevereiro de 2016 blog da cns, Destaques, Noticías admin A derrubada do veto ao parágrafo 8º do artigo 38 da Lei de Diretrizes Orçamentárias da União (LDO) 2016 é uma das ações mais importantes que o Congresso Nacional pode fazer pela saúde pública este ano. A avaliação é do presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Ronald Santos, que manifestou apoio nesta quarta-feira (24) à nota publicada pelo Centro Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes).De acordo com estudos realizados pela Comissão de Orçamento e Financiamento do CNS (Cofin), o veto impõe, na prática, uma perda estimada de R$ 10 bilhões para o custeio da saúde pública do Brasil. Para Ronald Santos, a retirada de qualquer quantia da saúde é prejudicial ao cidadão que busca atendimento no Sistema Nacional de Saúde (SUS). “O momento pede mais investimentos e não cortes. Hoje, por exemplo, o país esta mobilizado contra o mosquito Aedes Aegypti. O vírus da zika é uma realidade que assusta e o possível corte é muito preocupante”, avalia.A nota contra o veto, elaborada sob a coordenação da procuradora Élida Graziane, do Ministério Público de Contas de São Paulo, e da procuradora Cláudia Fernanda, do Ministério Público de Contas do DF, é assinada por 18 entidades representativas. Nela, fica clara a preocupação com o veto. “O que se tem visto no caso da política pública de saúde no Brasil é a redução dramática de recursos orçamentários e financeiros para custear o seu Sistema Único (…). O combate às endemias, bem como todas as demais ações e serviços públicos de saúde serão colocados na UTI”, diz o documento.Presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Contas (CNPGC), Cláudia Fernanda lembra que o corte de R$ 10 bilhões, caso o veto não seja derrubado, pode prejudicar muito a imagem do Brasil pelo mundo. “Os países que participarão das Olimpíadas já demonstraram grande preocupação com os casos de Zika catalogados recentemente. O que poderão pensar se a notícia do corte de R$ 10 bilhões for confirmada? Será que ainda assim vão participar do evento?”, questiona. Inconstitucionalidade, O presidente da Associação Nacional do Ministério Público de Defesa da Saúde (AMPASA), Gilmar de Assis, afirma que o veto não levou em consideração o fator de atendimento à população, mas apenas fatores econômicos. O resumo, segundo ele, é que esse veto corta cerca de R$ 10 bilhões na disponibilidade orçamentária do Ministério da Saúde, além de configurar inconstitucionalidade pela violação ao princípio da vedação ao retrocesso. “O orçamento ficará nominalmente menor do que fora do exercício anterior. E isso não pode ocorrer”, explica.Leia íntegra da nota:http://cebes.org.br/2016/02/nota-das-entidades-contra-o-corte-de-r-10-bi-no-orcamento-do-sus-em-2016/ Ederson Marques Assessoria do CNS Deixe um comentário Presidente do CNS une forças para avanços da saúde 17 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías #15ª Conferência Nacional de Saúde, #15ªCNS, #CNS, #JUNTOSpeloSUS, #saude, #SAÚDEpública, #sistemaÚNICOdeSAÚDE, #SUSadminO presidente do Conselho Nacional de Saúde, Ronald Santos, entregou nesta terça feira, 17.02, as diretrizes da 15ª Conferência Nacional de Saúde e o calendário de reuniões do pleno do conselho aos secretários, Hêider Aurélio, da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação da Saúde (SGTES/MS) e Antônio Alves, da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).O encontro faz parte das ações estratégicas do CNS, no sentido de dar continuidade a mobilização das pautas da saúde e tornar efetivo as diretrizes da 15ª CNS, que foram definidas por meio da participação popular.Segundo Ronald, é nos espaços de participação popular que se avança os projetos do Sistema Único de Saúde (SUS), mas também outros planos de um Brasil mais desenvolvido. “Nesse universo acumulamos forças e é tarefa nossa construir todos os esforços para que estas diretrizes se materializem e não seja apenas um discurso. Para isso, uma das demandas é a integração maior tanto dos trabalhadores, usuários e gestores”, pontua o presidente.Os dois gestores confirmaram seu apoio no sentido de unir forças para a consolidação desse projeto.Veja: Diretrizes aprovadas Por Patrícia Costa, do CNS Deixe um comentário CNS ajuda na construção de ações para a reabilitação da saúde do trabalhador 16 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías #CNS, #ConferênciaNacionaldeSaúdedoTrabalhadoreTrabalhadora, #saude, #SAUDEdoTRABALHADOR, #SAÚDEpública, #sistemaÚNICOdeSAÚDE, #SUSadmin O Conselho Nacional de Saúde, representado pelo conselheiro nacional Geordeci Souza, integrou o grupo de trabalho para o desenvolvimento de ações articuladas em saúde do trabalhador, com foco na reabilitação integral – física, profissional e com a reinserção social.conselheiro nacional de saúde Geordeci Souza. Foto – Patrícia Costa, do CNS“Muitas vezes a reabilitação não foi adequada, mas os peritos, em função das várias normas técnicas e instrumentos legislativos, atestam o retorno ao trabalhado sem que a pessoa esteja devidamente apta”, diz Geordeci, apontando para um dado que o movimento sindical considera a falta de intersetorialidade como um gargalo do atual sistema.Os temas discutidos sobre reabilitação Integral foram questões já trazidas pelo controle social. “As ações propostas nada mais são que o cumprimento, por parte da gestão, de resoluções pautadas nas últimas conferências”Segundo o conselheiro Geordeci, o tema foi debatido na 3ª e na 4ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador e Trabalhadora. “Várias resoluções tratam a necessidade do aumento da intersetorialidade entre os ministérios. Algumas delas, falam inclusive do processo de reabilitação e das perícias médicas”.Além do Conselho Nacional de Saúde, participam da definição das ações articuladas em saúde do trabalhador para a implementação da reabilitação integral, representantes do Instituto Nacional de Securidade Social (INSS), Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República e dos ministérios da Saúde, do Trabalho e Previdência Social, e do Desenvolvimento Social.“A expectativa, é fazermos com que esses ministérios dialoguem entre si de forma que a reabilitação não fique apenas na esfera de um ministério, e sim, uma ação intersetorial com participação social”, diz. “Isso, de forma a garantir que o trabalhador que passe pela reabilitação realmente seja reabilitado e retorne ao trabalho nas condições ideais de vida ativa”, comenta Geordeci. diretor de Saúde do Trabalho no INSS, Sérgio Carneiro. Foto – Patrícia Costa, do CNSSUS – De acordo com o diretor de Saúde do Trabalho no INSS, Sérgio Carneiro, hoje o país possui cerca de 70 milhões de segurados e, após o fim de uma das maiores greves na história da Previdência, é necessário superar o esgotamento do atual modelo de gestão.Como exemplo, ele citou a lei 13.135/2015, que mudou normas previdenciárias e passou a permitir que órgãos e entidades públicas ou que integrem o Sistema Único de Saúde (SUS) realizem a perícia médica. “Estamos construindo uma relação até mesmo para sustentar essa lei aprovada e que iremos discutir reabilitação, perícia e construir, na prática, a seguridade social”, explicou.diretor de saúde do trabalho do MS Gilberto Pucca. Foto – Patrícia Costa, do CNSO diretor de saúde do trabalho do MS, Gilberto Pucca, falou que os eixos dos trabalhos discutem ações envolvendo o campo da vigilância em saúde, ou seja, na antecipação das condições que podem induzir as doenças; a assistência que tange no atendimento clínico, individual e coletivo; e a reabilitação, propriamente dita.“O grande beneficiado são os trabalhadores que demandam essa reabilitação e hoje não encontram a facilidade de acesso. Atuando nestes eixos, você primeiramente fecha a torneira de produção da doença, portanto o volume da necessidade diminui; e segundo, que se capilarizar o atendimento de reabilitação, isso vai fazer com que a demanda reprimida diminua e o acesso aumente” explicou o diretor do MS.Por Patrícia Costa, do CNS Deixe um comentário Campanha da Fraternidade defende saneamento básico universal 12 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías #CampanhadaFraternidade, #CNBB, #CNS, #JUNTOSpeloSUS, #SaneamentoBásico, #SUSadminA Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016 defende o direito ao saneamento básico para todas as pessoas. O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) e a MISEREOR, organização dos bispos católicos romanos da Alemanha, lançam a campanha com o tema “Casa Comum, nossa responsabilidade”. E um versículo da Bíblia – “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24) é o lema.“A campanha é feita na quaresma, mas nós queremos que esse assunto seja tratado de forma permanente nas comunidades por todas as pessoas de boa vontade”, disse o conselheiro nacional André Luiz de Oliveira, representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB. Segundo o conselheiro, as comunidades cristãs são convocadas a mobilizar em todos os municípios grupos de pessoas para reclamar a elaboração de Planos de Saneamento Básico e exercer o controle social sobre as ações de sua execução. “Não falamos apenas de políticas públicas, mas também de atitudes responsáveis que todos devemos ter em relação à preservação ambiental”, diz Oliveira.A Campanha vai alertar sobre o direito ao saneamento básico e debater políticas públicas e ações que garantam a integridade e o futuro do meio ambiente. “Diariamente, no Brasil, 5 mil piscinas olímpicas de esgoto sem tratamento são lançadas na natureza”, alerta o conselheiro, “se todos os brasileiros tivessem condições ideais de saneamento, as internações iriam cair 70%”.O objetivo da é fazer uma reflexão crítica dos modelos de desenvolvimento, que têm orientado a política e a economia, a partir de um problema específico que afeta o meio ambiente e a vida de todos os seres vivos: a fragilidade e, em alguns lugares, a ausência dos serviços de saneamento básico.O abastecimento de água potável, o esgoto sanitário, a limpeza urbana, o manejo de resíduos sólidos, o controle de meios transmissores de doenças e a drenagem de águas pluviais são medidas necessárias para que todas as pessoas possam ter saúde e vida dignas, segundo o texto base da campanha. “Esse tema tem um impacto direto na campanha pela erradicação do mosquito da dengue e Zika”, comenta o conselheiro, “porém, é principalmente um instrumento de promoção da igualdade”.A combinação do acesso à água potável e ao esgoto sanitário é condição para se obter resultados satisfatórios na luta para a erradicação da pobreza e da fome, para a redução da mortalidade infantil e pela sustentabilidade ambiental. “Há que se ter em mente que justiça ambiental é parte integrante da justiça social”, segundo o texto base da campanha.A campanha está em sintonia com o Conselho Mundial de Igrejas e também com o Papa Francisco, que têm chamado a atenção para o fato de que o atual modelo de desenvolvimento está ameaçando a vida e o sustento de muitas pessoas, em especial as mais pobres.Segundo o texto base da campanha o atual modelo de desenvolvimento destrói a biodiversidade e, por isso, a perspectiva ecumênica aponta para a necessidade de união das igrejas diante dessa questão. “Nossa Casa Comum está sendo ameaçada”, diz o texto. “Não podemos, portanto, ficar calados. Deus nos convoca para cuidar da sua criação. Promover a justiça climática, assumir nossas responsabilidades pelo cuidado com a Casa Comum e denunciar os pecados que ameaçam a vida no planeta é a missão confiada por Deus a cada um e cada uma de nós”.Da Redação do CNS Deixe um comentário Conselho de Saúde destaca estrutura do SUS no combate ao Aedes 12 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías #aedesaegypti, #CNS, #saude, #SAÚDEpública, #sistemaÚNICOdeSAÚDE, #SUSadminO presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Ronald Ferreira dos Santos, afirmou,nesta quinta-feira (11) ao Portal Vermelho, que o programa nacional de imunização e a vigilância epidemiológica do Brasil são os melhores instrumentos que o país poderia ter no combate ao Aedes Aegypti. Ele informou ainda que o CNS está intensificando a mobilização dos conselhos nos estados e municípios pelo engajamento na mobilização nacional deste sábado (13) pela eliminação do mosquito.“Há no Brasil com o advento do SUS e com a experiência acumulada da vigilância epidemiológica nas últimas décadas grandes condições de fazer o enfrentamento a este problema de saúde pública”, declarou Ronald.Ele citou como caso exemplar a rapidez com que o sistema de saúde respondeu aos primeiros sinais do Aedes ser transmissor do vírus Zika, além da dengue e da febre chikungunya.“Foi notificado em novembro; em dezembro se deu o alerta, janeiro se notificou as autoridades internacionais. Em fevereiro já se tem um conjunto de informações bastante grande que nasceu a partir desta estrutura do sistema único”, exemplificou Ronald.Participação Popular O presidente do CNS citou o controle social como mais um componente que reforça as ações da saúde contra o Aedes. “Isso só tem no Brasil e só o sistema único de saúde tem a possibilidade da participação popular. E no combate de um problema como esse a participação da comunidade é central”, argumentou.Na opinião dele, a atuação da comunidade através dos conselhos tem condições de dar respostas “perenes” e não apenas pontuais no combate às questões de saúde pública.O Conselho defende um processo permanente de acompanhamento das ações nos estados e municípios com a mobilização das entidades integrantes dos conselhos participando do processo de conscientização da população.Os conselheiros também são orientados a garantir que sejam disponibilizados todos os recursos tecnológicos aos profissionais de saúde envolvidos nas ações. Ronald adiantou também que o CNS pretende realizar neste semestre a convocação para a 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde.Atualmente, existem 100 mil conselheiros nacionais e cinco mil conselhos pelo Brasil. Os conselhos são formados por entidades e representantes de usuários do SUS, trabalhadores da saúde, governo e prestadores de serviços em saúde. Desconhecido O aparecimento do vírus Zika trouxe um quadro completamente novo no mundo. Segundo Ronald, essa situação exige nova formação, treinamento, capacitação e novos protocolos para os profissionais da área.“Ainda vai ter que se produzido conhecimento, um conjunto de intervenções. Nós estamos falando de um problema de saúde pública que está sendo investigado nos últimos seis meses”, ressaltou.“Para formar um profissional e desenvolver protocolos não é de um mês para o outro, precisa ter evidências fortes”, disse Ronaldo. Ele apresentou como exemplo a cautela da Organização Mundial de Saúde (OMS) em relacionar o Zika com a microcefalia. “Não afirma categoricamente, diz que há grandes indícios”, completou. Desinformação A informação correta e oficial também é a melhor forma de combater o mosquito e o pânico. Ronald avaliou que até momento os principais meios de comunicação do país tem tratado o tema com o tamanho que o assunto requer.Entretanto, ele alertou para aquelas informações que chegam através das redes sociais. “Há muita gente colocando uma série de barbaridades nas redes sociais sem fundamento nenhum. E ai há um conjunto grande de interesses que acabam cooperando e jogando no desconhecimento”, contou.Ele recomendou à população que busque informações com as autoridades sanitárias ou ainda consultem os sites oficiais do Ministério da Saúde e portais das prefeituras e estados.“Nós estamos falando de informações aonde o nível de conhecimento técnico e científico requer um certo aprofundamento e tem muito boato distribuído nas redes sociais que de fato está causando um certo pânico e é preciso que isso seja desfeito”, ressaltou.Fonte: Portal Vermelho, por Railídia Carvalho – Foto – Governo do Estado do Maranhão Deixe um comentário Seminário discute políticas públicas para população em situação de rua 11 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías admin Sob a coordenação do Movimento Nacional da População em Situação de Rua em Goiás (MNPR) e da Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE-GO), com a participação de vários parceiros, serão realizadas nos dias 25 e 26 de fevereiro atividades em comemoração ao primeiro ano da atuação do Movimento Nacional da População em Situação de Rua no Estado.Nos dois dias serão oferecidos serviços, atividades artísticas e a discussão de políticas públicas voltadas para a comunidade em situação de rua e no segundo dia acontece o III Seminário Povos de Rua: Políticas Públicas para População em Situação de Rua pensadas em uma Perspectiva Intersetorial. As inscrições estão abertas e o público alvo são as pessoas em situação de rua, profissionais que trabalham diretamente com a população que vive nas ruas, representantes de órgãos públicos e a comunidade.No primeiro dia do evento (25/02) serão oferecidos serviços nas áreas da saúde, educação, segurança pública e assistência social às pessoas em situação de rua na Praça do Trabalhador. A DPE-GO estará presente para atender demandas nas áreas Cível, Criminal, Execução Penal, Direitos Humanos, Direitos da Mulher, Infância e Juventude, Consumidor e Serviço Social. Serão disponibilizados ainda corte de cabelo, fotografia, internet e massagem, além de apresentações artísticas.No dia 26, o III Seminário Povos de Rua: Políticas Públicas para População em Situação de Rua pensadas em uma Perspectiva Intersetorial, começa às 8 horas, no auditório Jaime Câmara da Câmara Municipal de Goiânia. Na ocasião, o defensor-público geral do Estado de Goiás, Cleomar Rizzo Esselin Filho, fará a abertura do seminário e o lançamento oficial do Centro de Atenção para Pessoas em Situação de Rua da DPE-GO, em parceria com a prefeitura de Goiânia.Veja a programação >> AQUI INSCRIÇÕES Fonte: dpe.go Um comentário até agora Diretriz sobre a redução das desigualdades sociais é aprovada com 88,8%11 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías #15ª Conferência Nacional de Saúde, #15ªCNS, #CNS, #JUNTOSpeloSUS, #saude, #SAÚDEpública, #sistemaÚNICOdeSAÚDE, #SUSadminCom 88,8% de votação, delegados da 15ª Conferência Nacional de Saúde aprovaram a diretriz que determina “Fortalecer as políticas públicas que reduzam as desigualdades sociais, diminuam a pobreza e contribuam para a qualidade de vida da população”.Para Geordeci Souza, conselheiro nacional de saúde, os números afirmam que a população acredita que para o avanço na saúde é necessário diminuir as desigualdades sociais. “Desde os debates de construção da 15ª colocamos para a sociedade que se não tivermos reformas estruturantes do Estado, não vamos conseguir avançar mais no SUS. Neste sentido, essa diretriz segue na direção de fortalecer as políticas públicas com foco na redução das desigualdades”.A diretriz aprovada faz parte do eixo 8 – Reformas Democráticas e Populares do Estado. Neste eixo, quatro diretrizes foram votadas com mais de 84%. Segundo o documento orientador da 15ª CNS, a Carta Constitucional reconhece a saúde como direito fundamental, definindo-a como resultante de políticas sociais e econômicas, portanto não há como discutir saúde sem considerar seus determinantes sociais.Abaixo as diretrizes aprovadas do eixo 8 na 15ªCNS: Eixo 8 – Reformas Democráticas e Populares do Estado Numeração Diretrizes Aprovadas% de Votação Diretrizes Aprovadas nos Grupos de Trabalho Diretriz 8.8 Fortalecer as políticas públicas que reduzam as desigualdades sociais, diminuam a pobreza e contribuam para a qualidade de vida da população.88,8%Diretriz 8.6 Lutar por uma Reforma Tributária que tenha por objetivo a implantação da justiça fiscal, promovendo o crescimento e distribuição de renda no país.88,6%Diretriz 8.5 Aprofundar a democracia do país com reformas democráticas e populares que garantam transparência e a moralidade na gestão pública e a efetivação da democracia, com vistas ao fortalecimento do SUS.86,7%Diretriz 8.1  Fomentar o debate sobre o projeto de democratização da mídia para descentralizar debates sobre o SUS, a saúde e os direitos dos(as) usuárias(os).84,6%Por Patrícia Costa, do CNS Deixe um comentário APSP divulga nota de pesar pelo assassinato de Marcus Matraga 10 de fevereiro de 2016 Destaques, Noticías #DireitosHumanosadminA Associação Paulista de Saúde Pública (APSP) emitiu nota de pesar pelo assassinato do militante histórico Marcus Matraga, que intermediava um conflito de terras quilombolas na Bahia.O professor aposentado do curso de Psicologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Marcus Vinicius de Oliveira Silva, 57 anos, foi assassinado na noite desta quinta-feira (4) no povoado de Pirajuía, município de Jaguaripe, no Recôncavo baiano. Marcus foi sequestrado por dois homens armados em casa e levado até uma estrada do povoado onde foi morto com um tiro na cabeça.Veja abaixo a integra da nota:A notícia do assassinato do Professor Marcus “Matraga” Vinícius nos chegou como um choque de difícil registro. Professor aposentado da Universidade Federal da Bahia, fundador da Rede Internúcleos da Luta Antimanicomial – RENILA, incansável e destemido defensor do SUS e dos Direitos Humanos; ele foi covardemente sequestrado e morto com um tiro na cabeça, enquanto mediava conflitos por terras quilombolas, no interior da Bahia.Marcus Vinícius sempre teve uma sensibilidade ímpar para perceber e combater a injustiça. Viveu e morreu, tragicamente, lutando ao lado dos injustiçados. O tiro que o alvejou veio carregado pela ganância e iniquidade que ainda marcam nossa sociedade. O tiro que o alvejou trazia em seu rastro uma história de desigualdade social, de concentração de terra e renda, de racismo, impunidade e violência estruturais, que ainda marcam o Brasil, como os grandes donos de terra marcam seu gado e suas cercas.“Somos poucos e estamos morrendo”, escreveu Ludmilla Correia na rede social Facebook – militante de Direitos Humanos e da Luta Antimanicomial. Lutadores como Marcus Vinícius, representantes históricos da luta pelos Direitos Humanos, morrem, mas não se vão. Permanecem como o rastro das estrelas já mortas que ainda nos norteiam à noite, continuamente inspirando as novas e velhas gerações, como faziam em vida.A morte de Marcus Vinícius nos entristece, mas também nos fortalece na convicção de que é preciso lutar por maior justiça social e igualdade.Representantes da APSP – Associação Paulista de Saúde Pública, junto a outros movimentos e entidades, têm mantido contato com membros da Secretaria de Justiça do Estado da Bahia, através da Superintendência de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos, buscando que o Ministério Público cumpra seu dever constitucional e acompanhe de perto o ocorrido . Este crime não ficará impune!Marcus Matraga, PRESENTE!Deixe um comentário Campanha do Dia Mundial do Câncer lança mensagem “Nós Podemos. Eu posso”4 de fevereiro de 2016Noticías#CNS, #DiaMundialdoCâncer, #Femama, #lutacontraocânceradmin O Dia Mundial do Câncer, 4 de fevereiro, é uma oportunidade para unir pessoas, comunidades e governos e estimular o debate sobre o tema a fim de reduzir os impactos do câncer em todo o mundo. A data é oportuna para disseminar informações a pacientes e à população em geral, incentivar hábitos saudáveis e o diagnóstico precoce e lutar por políticas que aprimorem os índices de cura e controle da doença.No Brasil, a campanha visa mostrar que todos, tanto organizações e grupos quanto cada pessoa individualmente, podem tomar ações, muitas vezes simples, para reduzir as mortes evitáveis por câncer. Deixe um comentário Blog da 15ª CNS Presidente do CNS apoia nota contra corte de R$ 10 bi do SUS admin – 25/02/2016 Em ofício conjunto CNS, CONASS e Conasems alertam para a falta de recurso para saúde em 2016 admin – 15/12/2015 Veja o Boletim da 15ªCNS admin – 11/12/2015 15ªCNS discutiu avanço do Zika Vírus, Chikungunya e Dengue no Brasil admin – 11/12/2015 Delegados de todo o Brasil definem diretrizes para a saúde pública admin – 07/12/2015 Fonoaudiologia protocola moção durante realização da 15ª CNS admin – 07/12/2015 Representante do Conselho Federal de Psicologia acredita no protagonismo da categoria no SUS admin – 07/12/2015 Presidenta da República prestigia a 15ª Conferência de Saúde admin – 04/12/2015 Força Nacional do SUS na 15ªCNS admin – 04/12/2015 80% das proposições foram aprovadas com 70% de votos na 15ªCNS admin – 04/12/2015 Sentidos do Nascer recebe visita do Ministro da Saúde admin – 04/12/2015 Acompanhe ao vivo a plenária final da 15a Conferência de Saúde admin – 03/12/2015 “Que tal começarmos a exercer o jamais proclamado direito de sonhar?” admin – 03/12/2015 Todos os artigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *